Ignez Ferraz, arquitetura & design  
Loading
     
PERFIL
CONTATO
NA MÍDIA
ARTIGOS
DICAS
 
Portfólio
DESIGN - MÓVEIS
ARQUITETURA
INTERIORES
MOSTRAS
MÓVEIS
Apoio
arquitetura & construção
design & internet
 
 home » artigos » haute couture: o glamour dos vestidos de festa
Haute couture: o glamour dos vestidos de festa
Por Ignez Ferraz
Haute Couture: Fiftie’s evening dresses


Quando, em 1830, Barthélemy Thimonnier inventou a máquina de costura, não poderia imaginar que hoje, a roupa, em contato íntimo com a pele, afirma-se como a primeira expressão de todas as diferenças individuais.



CHRISTIAN DIOR - Desfile primavera-verão: Paris, 1957
FOTO Cecil Beaton



O livro “Cinquenta vestidos que mudaram o mundo”, lançado em Londres no Design Museum (onde assisti uma grande retrospectiva dos nórdicos), enumera criações de diversos costureiros já apresentados no site: o ‘soltinho’ Chanel , o Givenchy da “Bonequinha de Luxo” Audrey Hepburn; os minis de Mary Quant e Courrèges na déc. 60; o “Mondrian” de Yves Saint Laurent e o New Look de Christian Dior que definiu, na esperança do pós-guerra, uma nova era de versatilidade e irreverência.


Os anos 50 marcaram o auge da Alta Costura parisiense, e, com eles, os longos e requintados vestidos de noite para as sofisticadas festas que borbulhavam no grand monde. (Na década seguinte, o movimento POP e a Beatlemania transferiram para Londres a moda jovem do prêt-à-porter)



Balenciaga, 1951


A cidade exalava um ar perfumado chique: dos elegantes ateliers...



Dior inspecionando uma coleção


...aos disputados desfiles exclusivos.



Desfile Dior 1951


Dos elaborados croquis...



Croquis de LANVIN


...aos modernos e criativos fotógrafos, com destaque para Cecil Beaton e Clifford Coffin.



Rahvis
FOTO Clifford Coffin



Isso sem contar as personalidades que frequentavam e ilustravam seus bastidores...



Margot Fonteyn - vestido de Bianca Mosca, 1949
FOTO Cecil Beaton



Mas querem saber qual o MEU FAVORITO?



Vestido de noite por Jean Dessès modelado por Jeannie Patchett
FOTO Norman Parkinson



Não é ‘a cara’ da etérea/eterna Grace Kelly? Imaginem se o tomara-que-caia ainda fosse complementado por luvas 7/8 de cetim nude?
 
Leia Também
 
 
Ignez Ferraz Perfil | Contato | Na mídia | Artigos | Dicas | Arquitetura | Interiores | Design-Móveis | Mostras.
  © 2003 Ignez Ferraz. Direitos reservados. Website by Felipe Memória